quinta-feira, outubro 16, 2008


Uma conexão existe entre o tratamento de mulheres e o tratamento de animais. Em seu tradicional papel exibicionista, mulheres são simultaneamente fitadas e expostas, com sua aparência codificada para forte impacto visual e erótico para que possa ser dito que elas conotam “fitabilidade”. Esta dificuldade em perceber o quanto a subjetividade confia nesta “fitabilidade” também explica a atração de uma campanha “nua”, porque ela vai ter atenção da mídia, já que a mídia é a fonte primária de encorajamento da “fitabilidade” da mulher. O ponto de interseção é o uso pornográfico da bestialidade, no qual aquelas e aqueles de nós de atividade no movimento contra violência contra mulheres sabemos que é frequentemente uma ocasião para violentadores/estupradores maritais forçarem sexo entre um animal e sua parceira feminina. Eles tentam reproduzir a pornografia que consomem.Dada esta análise, a campanha “eu prefiro ir nua do que usar pele” é intrinsicamente problemática, provocando um debate de meios/fins entre nós. Esta é uma razão pela qual a campanha “nua” é tão perturbadora: um grupo aliado, muito familiarizado com a experiência de Linda Lovelace, é agora apresentado com uma campanha que anuncia que direitos animais não compreendem a objetificação de mulheres em geral, e especificamente sobre a origem do patriarcado na opressão de animais.


- Carol Adams

3 comentários:

Mariana disse...

O que tem a ver feminismo com libertação animal? Rss
Nada!
Realmente, procuro sobre animais na net e me deparo com uma coisa dessas

Vanessa Nicolav disse...

Olá,
Meu nome é Vanessa, sou da Revista Fórum e venho lhe informar sobre uma campanha que estamos promovendo.
A edição de março irá tratar das conquistas femininas no Brasil. A matéria de capa será resultado de uma enquete para escolher qual a personalidade que melhor simboliza a luta das mulheres no Brasil.
Você pode me mandar um email pra eu lhe passar o release para nos auxiliar na divulgação?
A Votação está no ar: www.revistaforum.com.br/mulher.
Qualquer dúvida estou a disposição

Vanessa Nicolav
vanessa@revistaforum.com.br

Elaine Figueira disse...

Olá, parabéns pelo blog, é um assunto polêmico e controverso, mas verdadeiro! Costumo comparar a libertação animal com a libertação dos escravos, sinto que as coisas andam mais ou menos iguais. E com relação ao feminismo, sou bruxa wiccan e feminista! Tb concordo que a maioria das mulheres não pensam direito, seguem um padrão imposto pelo patriarcado, pelo machismo (muitas mulheres são machistas) ou pelo sistema que a elas é imposto e que sequer param para pensar nisso!

Parabéns pelo blog